PALA DA LEBRE

Na região vinhateira mais antiga do mundo nasce nos anos 90, aquela que viria a ser chamada de Quinta da Penalva ou Perdiz. Esta surge da junção de pequenas parcelas, vinhas velhas na sua maioria, herdadas de antepassados para quem o cultivo da vinha pouco segredo tinha, dado que o faziam desde sempre. Mais tarde, e já com o actual proprietário, agregaram-se mais parcelas, juntando assim às vinhas velhas, novas plantações, cultivadas mediante as mais recentes técnicas de plantio.

Em 2006, o actual proprietário decide criar uma nova marca de vinho, feito com a produção de uvas da Quinta da Penalva ou Perdiz. Pensava ele que era “uma pena não aproveitar uma matéria-prima de tão boa qualidade para fazer o que sabia de melhor (o vinho)”. Nascem então os vinhos Pala da Lebre, que provêm das mais finas castas e do melhor terroir, aos quais se juntam um microclima de excelência.